Informações sobre Latência para Scalpers

Acompanhando comunidades de operadores do mercado financeiro, nós da equipe do Tryd percebemos que têm surgido muitas discussões sobre a influência da latência na velocidade de execução das ordens, principalmente entre aqueles de perfil scalper. Escrevemos este artigo para tentar esclarecer alguns pontos que vimos estarem sendo mal compreendidos.

 

Hospedar a plataforma na nuvem melhora a latência.

Dependendo da localização e da configuração, a latência pode piorar bastante.

Ex.: Nuvem fora do país e/ou configuração inferior à mínima recomendada para a plataforma.

 

Plataforma “xpto” é DMA2, portanto é mais rápida.

Quem fica no DMA2 não é a plataforma e sim o OMS, portanto independente da plataforma, a latência será sempre afetada pela localização do computador onde a mesma é processada e da qualidade/velocidade do link usado para trafegar as ordens até o OMS.

Isso faz com que seja comum que uma mesma plataforma em clientes diferentes e roteando ordens para uma mesma corretora tenha comportamentos diferentes, como p.ex. na latência das ordens.

 

DMA2 é mais rápido que o DMA1.

O que importa é a distância da plataforma para o OMS e do OMS para a Bolsa, a capacidade de processamento no OMS/servidores, assim como a qualidade e velocidade da comunicação.

No que tange à latência da comunicação do OMS para a Bolsa, a única coisa que pode ser afirmada neste sentido é que o modelo de menor latência é aquele onde OMS está dentro da Bolsa.

 

As ordens devem ser executadas pelo preço exibido no book.

A ocorrência de slippage é da natureza do mercado financeiro. Ela é influenciada, entre outras coisas, pela volatilidade do mercado e pela existência de robôs HFT operando no mesmo ativo.

Mesmo sendo um tempo pequeno, a latência das ordens no percurso entre a plataforma do cliente até o OMS nunca será tão rápida quanto um robô HFT, em especial os que estão no modelo DMA4. Nestes casos o robô pode receber as cotações, processar o algoritmo e enviar ordens antes mesmo da cotação chegar à plataforma do cliente.

Por tudo isso, não é coerente esperar que a plataforma seja capaz de garantir um valor máximo de slippage, sem levar estes fatos em consideração.


Os textos das páginas abaixo trazem informações adicionais sobre os processos de comunicação entre as plataformas e as corretoras. São informações genéricas, que se aplicam a todos os ambientes: para qualquer plataforma em qualquer OMS de qualquer corretora.

https://www.tryd.com.br/latencia/index.html

https://www.tryd.com.br/infraestrutura/

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *